O aborto e Quimera

Meu primeiro contato com os objetos havia se tornado uma gestação. Passei cerca de 6 meses entendendo esse novo processo que minha criação havia instaurado sobre meu corpo. Coletei pedaços das praias criando um ser que eu gostaria muito que tivesse uma vida, uma Quimera, meio gente, meio bicho, uma forma que só apareceria num experimento de gestar. Do aborto repentino deste bicho, se fez criar minha Quimera, um ser interrompido, porém materialmente formado, mesmo que em pedaços, dando início à uma nova trajetória no meu trabalho, assumindo a multimaterialidade nos meus experimentos.

__
Texto referente aos trabalhos:
A tentativa frustrada de uma Quimera que se mova
O aborto




Ao dispor do tempo dos fungos

Nasci em Uruguaiana, RS, porém com um ano de idade minha família havia mudado para Florianópolis. Vivi na cidade até meus 17 anos, quando me mudei para o Rio de Janeiro. A série Ao Dispor do Tempo dos Fungos surge de um período que retornei à Florianópolis e ao Rio Grande do Sul, entre final de 2015 e início de 2016. O reencontro com a cultura dos dois estados me fez revisitar minhas raízes e esses objetos do campo e mar que fazem parte do meu passado e reverberam sobre mim. As simbioses entre fungos e algas presentes nos liquens que coletei nesse período se tornaram uma analogia à minha criação, como se o modo que fui construído fosse uma simbiose entre os dois estados, o campo e o mar.

__
Texto referente aos trabalhos:
Parasita do Sul
Pele de Cobra